Instituto Superior Técnico

Núcleo de Apoio ao Estudante

Ser mentor

Com a reformulação do Programa de Mentorado, ser mentor tornou-se mais exigente. Durante o ano letivo, será exigido um acompanhamento regular, pelo que haverão pequenos inquéritos e três tipos de eventos: ações de formação (soft-skills, gratuito), team-building (promoção de convívio e networking entre mentores) e sharing sessions (sessões de partilha entre mentores e análise de situações particulares).

Ser mentor deve ser uma decisão conscienciosa, pois é esperado que tenhas disponibilidade e capacidade de comunicação. O contacto com os Mentorandos é muito importante e deve ser frequente! Se não souberes o que dizer, partilha as tuas experiências enquanto aluno de 1º ano ou enquanto aluno de mobilidade. Participa ativamente nas atividades do Programa de Mentorado e procura promovê-las junto dos teus Mentorandos. Por fim, não hesites contactar o Guia do NAPE responsável pelo teu curso – é com ele que poderás esclarecer as tuas dúvidas e resolver problemas que tenham surgido (follow-up regular).

Competências do Mentor:

  • Promover o espírito de equipa, ajuda e companheirismo;
  • Informar acerca do Técnico, como a localização de salas de aula, salas de estudo, laboratórios, gabinetes e outros serviços do campus Alameda;
  • Aconselhar acerca dos materiais de estudo mais adequados, locais de compra, entre outras questões mais específicas sobre o funcionamento das disciplinas;
  • Auxiliar os Mentorandos em questões como bolsas de estudo, passe social, residência, entre outras;
  • Incentivar a participação também no Programa Tutorado (GATu);
  • Sensibilizar para as dificuldades que poderão existir na transição do ensino secundário para o ensino superior, como o aumento da carga horária, o ritmo de trabalho, a potencial média inferior à do Secundário, entre outros;
  • Ajudar na gestão de tempo e no planeamento da época de avaliação;
  • Guiar uma visita ao campus baseada no itinerário apresentado no Guia do Mentor;
  • Organizar encontros diferentes e originais, por exemplo em cafés/pastelarias ou passeios pela cidade de Lisboa;
  • Incentivar o relacionamento com outros colegas, não só do teu curso, mas também dos restantes;
  • Incentivar a prática de atividades disponíveis no Técnico, como desporto, cursos de línguas da AEIST, Tunas, Núcleos de Alunos, concursos, entre muitos outras.

Vantagens:

Ser mentor também te traz algumas vantagens:

  1. Acesso a um Plano de Formação Contínua sólido e relevante, com formações de: inteligência emocional, personal marketing, pitching e construção de CV;
  2. Integração do Programa Mentorado no Currículo Académico do aluno do Técnico (ainda em definição);
  3. Participação directa nas actividades do Programa e na sua divulgação;
  4. Apoio na organizar de actividades sugeridas pelo Mentor ou Mentorando, contribuindo para o desenvolvimento de valências como trabalho em equipa, liderança e gestão de tempo.

O que dizem os nossos Mentores:

mentor-eiras Francisca Candeias (Eng. Biológica – MEBiol)
Mentora de alunos de 1º ano desde 2014
Novas Amizades!
A entrada no Técnico pode parecer assustadora e procurei que a minha mentoranda tivesse uma ideia do que a podia esperar neste novo desafio. O facto de ter havido disponibilidade de ambas as partes criou uma boa relação entre nós.
mentor-eiras Francisco Eiras (Eng. Eletrotécnica e de Computadores – MEEC)
Mentor de alunos de 1º ano desde 2014
Uma experiência muito gratificante!
Promovi a integração de novos alunos e ainda desenvolvi as minhas capacidades interpessoais, melhorar algumas soft skills e aprender no processo.
mentor-eiras Mariana Fernandes (Eng. Aeroespacial)
Mentor de alunos de 1º ano desde 2015
Experiência completa!
Ser mentora foi extremamente aliciante, porque facilitei a adaptação dos meus mentorandos enquanto desenvolvi capacidades que estão para além das ensinadas em qualquer sala de aula do Técnico.